“O meu bebé já dorme a noite toda!”

“O meu bebé já dorme a noite toda!”

Não há quem não pergunte aos recém-papás: “Então? O bebé já dorme a noite toda?” Esta pergunta cria, muitas vezes, uma certa ansiedade e frustração, principalmente quando ouvem outros pais a dizer que os seus bebés de poucas semanas “já dormem 5/6/7 horas seguidas”.
Então, por que será que, aparentemente, alguns bebés já dormem tantas horas seguidas sem despertar e outros não? Será que dormem mesmo tantas horas seguidas? Vamos falar um bocadinho sobre isto…

A estrutura do sono da criança é muito distinta da estrutura do sono do adulto, e, quando falamos em bebés com poucas semanas de vida, essa diferença é ainda mais significativa. Mas há uma coisa em comum – os despertares. Na verdade, nem os adultos nem as crianças dormem 6/7/8 horas seguidas. Isso nunca acontece; nenhuma noite! Mesmo quando achamos que dormimos a noite toda, na verdade, ocorreram pequenos microdespertares, que, habitualmente, têm entre 4 e 15 segundos. Os adultos podem ter estes microdespertares até 10 vezes por hora, sem que isso comprometa a qualidade do sono. (1) Então, se isto acontece nos adultos seria diferente nos bebés? Ainda para mais sendo seres dependentes para todas as suas necessidades?

Quando dizemos que o bebé já dorme um determinado número de horas seguidas, na verdade, isso não acontece e é desejável que isso não aconteça. O bebé despertou ao longo dessas horas, só que não chorou, não chamou ninguém e, como ninguém apareceu, o bebé voltou a dormir. Isso vai acontecendo algumas vezes até que, em determinada altura, o bebé irá, efetivamente, chorar ou chamar o seu cuidador – e este é entendido como o primeiro despertar.

E isto é mau – deixar que o bebé entre novamente no sono e não atender quando desperta parcialmente?

Depende dos casos. Não podemos dar uma resposta geral para todos os bebés. Vamos ver as duas situações mais frequentes.

Se falamos de um bebé com menos de 1 mês, em que há dúvidas sobre o correto aumento de peso ou algum problema na amamentação, não será muito benéfico deixar que o bebé faça tantas horas seguidas, uma vez que estes despertares mais parciais são oportunidades para mamar perdidas, e isso pode comprometer o aumento de peso do bebé e/ou a produção de leite da mãe. O bebé teria necessidade de mamar, mas a mãe ou os cuidadores não se aperceberam porque não houve choro. Nestes casos, o co-sleeping (cama partilhada) pode ser uma estratégia muito útil porque a mãe apercebe-se muito mais facilmente destes pequenos despertares e o bebé tem mais oportunidades para mamar.

Um estudo muito interessante, intitulado Sleep patterns of co-sleeping and solitary sleeping infants and mothers: a longitudinal study”, publicado em 2015 na Elsevier (2), compara 2 grupos de mães: as que fazem Co-Sleeping e as que têm os bebés num quarto separado do seu. Fizeram dois momentos de avaliação: um momento em que questionaram as mães sobre os despertares noturnos dos seus bebés e a sua qualidade de sono e outro momento em que mediram, com medidas objetivas, através de Actigrafia e Polissonografia, os despertares e a qualidade de sono.

Perceberam que, através de questionário, as mães que tinham os filhos em quartos separados referiam que os seus bebés despertavam menos vezes durante a noite e elas dormiam melhor. Por outro lado, as mães do grupo de Co-Sleeping referiam que os filhos acordavam mais vezes durante a noite.

Quando foram avaliadas através de medidas objetivas, perceberam que, na verdade, era exatamente o contrário. As crianças que dormiam em quarto diferente dos pais, despertavam o mesmo número de vezes e, em alguns casos, mais vezes do que as crianças que dormiam em Co-Sleeping, só que esses despertares não eram percecionados pelos pais. (2)

Passando a outro cenário, se estamos a falar de um bebé que está a aumentar bem de peso, que não aparenta irritabilidade, ou seja, tem as suas necessidades satisfeitas, e que está tudo bem… não vamos inventar problemas onde eles não existem! Se está tudo bem e se o bebé desperta sem os pais darem conta e volta a adormecer sozinho, aproveitem. Não faz sentido dizermos a uma mãe para estar de sentinela a vigiar os despertares parciais do seu bebé. O descanso da mãe é tão importante como o descanso do bebé.

Em suma, e de modo a não criar ideias erradas que acabam por frustrar alguns pais, nenhum bebé consegue dormir 8 horas seguidas! Todos despertam, mas alguns não fazem sinais maiores e acabam por voltar ao sono novamente, sem que os pais se apercebam deste despertar.

Cada bebé é um bebé e cada família é única.

Todos merecemos amor e aconchego, incluindo na hora de dormir.

Andreia Neves (Cardiopneumologista | Técnica De Diagnóstico e Terapêutica em Medicina do Sono | Assessora de Lactação| Hospital de São João | Amamenta Porto)

Tem dúvidas sobre o sono do seu bebé? Precisa de ajuda profissional? Contacte: andreianeves@amamenta.net

 

Referências bibliográficas

  1. European Sleep Research Society. Sleep Medicine Textbook. 2014.
  2. Ella Volkovich, Hamutal Ben-Zion, Daphna Karny, Gal Meiri, Liat Tikotzky. Sleep patterns of co-sleeping and solitary sleeping infants and mothers: a longitudinal study. Elsevier. 2015.

 

Sobre o autor

Andreia Neves administrator

Deixar uma resposta

error: Content is protected !!